Respiração errada e as conseqüências para os dentes e rosto

Envie a um amigo





Envie a um amigo

Normalmente o profissional que trabalha com correção dentária recebe a visita dos interessados numa faixa de idade próxima da adolescência e estes relatam que gostariam de colocar aparelho para corrigir o posicionamento errado dos dentes. O que eles não sabem é que tais problemas tiveram início lá trás na maioria das vezes, provavelmente nos primeiros anos de vida, e uma das principais responsáveis por tais alterações é a Respiração Bucal; que pode ser observada facilmente pelas pessoas que estão próximas, principalmente durante o sono, caracterizando-se pela falta de contato entre o lábio de cima com o de baixo. Não podemos esquecer que o céu da boca (palato) é o assoalho do nariz, estão intimamente ligados anatomicamente, e se um não cresce de acordo, o outro irá acompanhá-lo, desta forma ficam “atrofiados”. Isto normalmente pode ser conseqüente de alguma obstrução nas chamadas vias aéreas superiores e que na maioria dos casos, deve persistir pela vida toda comprometendo em muito a “qualidade de vida” das pessoas. Dos problemas respiratórios mais comuns observados temos: a Rinite alérgica cujo portador tem o hábito de coçar o nariz, principalmente na presença de substâncias como: poeira, alguns perfumes e produtos de limpeza, pólens, etc; Amigdalite (Problema de Garganta) as estruturas quando inflamadas tornam-se aumentadas de tamanho e às  vezes com pontos esbranquiçados (pus). O problema de Adenóide (Amígdala Faríngea) somente pode ser diagnosticado com exames específicos, mas todos dificultam a passagem de ar pelo nariz, mas respirar é uma necessidade fisiológica vital, daí a necessidade de uma via auxiliar que é a boca, que não foi projetada para isso. A anteriorização da cabeça é muito comum para favorecer a entrada de ar e muitas vezes  acaba trazendo um problema postural de coluna como compensação em muitos casos. Podem ser observadas também as Sinusites, hipertrofia de cornetos, desvio de septo nasal, etc. Tais problemas podem evoluir para as Vias aéreas inferiores causando a Bronquite e até mesmo a Asma, além de sobrecarregar o sistema Cárdio-pulmonar, que a médio e longo prazo devem trazem efeitos significativos para a saúde como um todo. Dependendo da: freqüência, intensidade, duração e da resposta individual frente a tais problemas, teremos como conseqüência o comprometimento do crescimento e desenvolvimento também das estruturas “dento-oro-faciais” que se encontram inter-relacionadas, prejudicando não somente a Estética do Sorriso, mas também a Estética da Face (o rosto da pessoa), pois os tecidos moles recobrem e se amoldam sobre os ossos, dentes e cartilagens. Tudo isso acontece porque acaba ocorrendo um desequilíbrio no funcionamento das estruturas que ali deveriam atuar em conjunto com funções específicas como por exemplo: a respiração, mastigação, fonação, deglutição e até mesmo a estética. O tratamento multidisciplinar, ou seja, em equipe, com outros profissionais se faz necessário em vários casos, visto que uma vez iniciada uma alteração, seja no formato ou no tamanho principalmente nos ossos, dificilmente irá voltar ao normal naturalmente, necessitando portanto muitas vezes da intervenção de algumas especialidades como: Pediatra, Otorrino, Homeopata, Alergologista, Fono, Nutricionista, Fisioterapeuta, do Dentista, Psicólogo, etc. Quanto às arcadas dentárias, dos problemas mais comuns temos aqueles onde os dentes estão tortos por ocuparem um espaço menor no arco, portanto esse osso onde estes estão implantados não cresceu de acordo, outras vezes esse arco cresceu em excesso, caracterizando os espaçamentos entre os dentes (frestas). Em alguns casos é necessária a Cirurgia Ortognática (em hospital) pela própria limitação do tratamento ortodôntico convencional na adolescência e muito mais ainda na idade adulta; dependendo da gravidade do problema observado, principalmente nos casos de queixo para trás (retrognata), para frente (prognata), sorriso gengival (rosto alongado), palato estreito e profundo, assimetrias faciais, ou seja, nas chamadas deformidades faciais de médio e grande porte. Desta forma é de extrema importância que seja feito um diagnóstico (detecção do problema) e tratamento precoce e se possível a partir dos 4 anos de idade, aproveitando o “momento biológico” que é único, pois é mais simples, mais rápido, com melhor evolução, menor gasto, e principalmente permitindo que seja restabelecido os padrões normais de crescimento de todas as estruturas envolvidas, inclusive colaborando na melhoria da Respiração Nasal, reduzindo e até mesmo eliminando a necessidade do uso de aparelhos fixos (tijolinhos) e, principalmente no que diz respeito à remoção de dentes para ganhar espaço para endireitá-los.

---------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Deixe seu comentário

Você estálogado em comentário do post